• Sobre
  • Créditos
  • Aldo Baldin
  • Prêmio

"Baldin tinha uma voz rara. A qualidade do seu som era impecável."
(Sir Neville Marriner, Maestro)

Categoria: documentário
(Colorido - HD - Em Pós-Produção - Brasil, Alemanha e EUA)

Sinopse: Aldo Baldin - Uma Vida pela Música revela o grande talento do tenor Aldo Baldin em sua jornada, desde um início humilde no Brasil até o reconhecimento internacional na Europa. Baldin estava entre os melhores tenores do mundo durante a década de 1980, especialmente como intérprete das peças de Bach. Trabalhou com maestros como Sir Neville Marriner, Helmuth Rilling, Herbert von Karajan, Rolf Beck, Karl Richter e Peter Schreier. Com saudosas histórias de uma ampla gama de músicos, amigos e familiares, Aldo Baldin - Uma Vida pela Música é uma celebração da carreira única desse artista e professor catedrático, como um dos maiores músicos eruditos que o Brasil já produziu.

Produção: Goulart Filmes e Avanturi Productions
Produtores executivos: Marcelo Nigri e Yves Goulart
Produtores: Yves Goulart, Marcelo Nigri e Nayglon Goulart
Direção: Yves Goulart
Direção musical: Irene Flesch Baldin
Roteiro: Yves Goulart
Fotografia: Yves Goulart
Edição: Yves Goulart
Som direto: Nayglon Goulart
Correção de cor e efeitos gráficos: Erico Dias
Entrevistados: Isaac Karabtchevsky, Helmuth Rilling, Hera Lind, Sir Neville Marriner, Rolf Beck, Maria Lúcia Godoy, Roberto de Regina, Edino Krieger, Eliane Sampaio, Celso Antunes, Heloísa Nemoto Vergara, Walter Santos Filho, Fernando Portari, Roberto Saccà, Bernhard Gärtner, Marc Marshall, Hernán Iturralde, Marga Schiml, Peter Lika, Andreas Keller, Walter Forchert, Lilian Barreto, Miguel Proença, Fany Solter, Cicinato Cascais da Silva, Neyde Borges Coelho, Ir. Bruno Klein, Darcy Brasiliano dos Santos, Noemi Kellermann, José Araujo Filho, Laura Lindolfo, Galileu Sangaletti, Delfina Baldin Sangaletti, Irene Flesch Baldin, Serena Flesch Baldin e Sofia Flesch Baldin
Designer gráfico: Erico Dias

Aldo Baldin nasceu em Urussanga, Brasil. Uma criança prodígio na música, ganhou uma bolsa no Brasil para estudos de piano e violoncelo, seguidos pelos cruciais primeiros estudos de canto com Eliane Sampaio e Heloisa Nemoto Vergara.

Foi Karl Richter quem foi fundamental para garantir uma bolsa de estudos do German Academic Exchange Service para Baldin estudar com Martin Gründler, no Conservatório de Música de Frankfurt, onde recebeu o diploma de Artes Cênicas. Ele continuou a estudar com Margarethe von Winterfeldt e participou de cursos de verão com Conchita Badia e Noemi Perugia.

Ainda no Conservatório de Frankfurt, Baldin já atuava como solista de concertos e oratórios e intérprete de Lied, como também era procurado como artista musical para rádios e gravadoras. A sua discografia cobre uma vasta gama de gravações de oratórios, Lieder e óperas para conhecidos selos musicais.

Baldin trabalhou regularmente com maestros e orquestras de renome mundial e se apresentou em festivais internacionais de música, bem como em quase todas as grandes salas de concerto e casas de ópera da Europa, Japão e América. Sua carreira como cantor de ópera começou no Pfalztheater de Kaiserslautern e logo o levou ao National Theatre de Mannheim. Em 1980, estreou no Teatro Colón de Buenos Aires e, em 1981, no La Scala de Milão. Também foi contratado como intérprete convidado na Deutsche Oper de Berlim e em outras casas de ópera internacionalmente conhecidas. Ele realizou extensas turnês de concertos, que o levaram à França, Holanda, Itália, Portugal, Espanha, Suíça, Israel, Rússia, Polônia, República Tcheca, Letônia, Islândia, Estados Unidos e América do Sul.

A grande versatilidade de sua voz permitiu a Aldo Baldin aplicar suas habilidades interpretativas a todos os períodos da música, desde o Renascimento ao contemporâneo. Suas áreas de especialização no repertório operístico incluem Mozart, Donizetti e Rossini; na literatura do oratório, todas as grandes obras de Bach (em particular os papéis do Evangelista), bem como todas as obras importantes de Haydn, Mozart, Beethoven, Bruckner, Rossini e Verdi. O repertório de canções de Baldin abrange não apenas Lieder da Alemanha, mas também a literatura espanhola, italiana e francesa, como também canções de compositores brasileiros contemporâneos.

Entre outras instituições, Baldin lecionou nas academias de música de Blumenau, em 1975. De 1978 a 1980, foi professor de canto na Musikhochschule de Heidelberg e, em 1983, tornou-se professor catedrático na Musikhochschule de Karlsruhe.

Aldo Baldin morreu em Waldbronn, na Alemanha, aos 49 anos.

Prêmio

  • Edital Prêmio Cinemateca Catarinense/FCC na categoria 'Pesquisa e Desenvolvimento de Projeto Cinematográfico de Longa-Metragem' (Santa Catarina, Edição 2011).

ENTREVISTADOS

ALDO BALDIN

VÍDEOS

IMPRENSA